Música 'Celta'


A maior parte do que se costuma chamar atualmente de 'música celta' é, na verdade, música tradicional irlandesa (céol). Igualmente, a "dança celta" popularizada por musicais - como o mundialmente famoso 'Riverdance' - são releituras das tradicionais danças 'céilí' das terras celtas da Escócia e da Irlanda.

Em tempos recentes, tem havido um reencontro desses povos com sua música tradicional. Artistas das modernas 'nações celtas' - irlandeses, escoceses, galeses, bretões e galegos - vêm resgatando as canções tradicionais utilizando instrumentos típicos e, em muitos casos, incorportando elementos modernos. Nos anos 1980, os escoceses do Silly Wizard (abaixo, à esq.) faziam uma linda combinação de instrumentos modernos com música tradicional escocesa, assim como o Clannad (abaixo à dir.) na Irlanda.

Tudo começou nos anos 1960, com a popularização da folk music de diversos locais. Na América, foi uma turnê dos lendários Clancy Brothers (abaixo) que despertou toda uma geração à força da música folk - a começar por Bob Dylan, que se disse entusiasmado pelo trabalho dos irmãos Clancy. No Canadá, as décadas seguintes trouxeram ao mundo o vigor das músicas de Cape Breton - onde por força do isolamento e da nostalgia, preservou-se com grande energia a música irlandesa e escocesa de décadas anteriores.

A herança musical das nações celtas também pulsa fortemente em outras terras: o Milladoiro galego é um excelente expoente da música tradicional celta daquela região, e o harpista bretão Alan Stivell dedica sua carreira ao resgate da harpa celta.

Mas se há um lugar em que a música 'celta' pulsa com mais vigor, esse lugar é a Irlanda.


Música 'Celta' e Traditional Irish Music


O irlandês é um povo essencialmente musical - prova disso são os grandes expoentes da música contemporânea de diversos estilos a surgirem na Ilha Esmeralda: U2, The Corrs, Sinead O'Connor, The Cranberries, Enya. Ainda que nenhum desses nomes pode ser descrito como "música irlandesa", em todos esses diferentes estilos encontramos alguns elementos da música irlandesa tradicional. Mas o que é, então, essa música e quais as suas características?

Raízes

Ao contrário do que se costuma crer, a música tradicional irlandesa ganha forma por volta dos séculos XVII e XVIII sendo, portanto, muito mais recente do que o período de dominação cultural celta da Irlanda. São melodias vivazes e bastante contagiantes, no caso dos reels e jigs, ou lentas, profundas e melancólicas, como no exemplo das airs e canções. As temáticas também variam de acordo com o estilo: temas leves e alegres, como festas, danças, bebedeiras e viagens costumam ser acompanhados por melodias agitadas, enquanto que as airs e canções tratam de amores rompidos, guerra, separações por viagem ou morte, temas costumeiramente tristes. Algumas ainda hoje são executadas no sean nos, "estilo antigo", ou seja: com arranjos e instrumentações típicos da época.

Um dos principais nomes da música irlandesa é o harpista cego Turlough O'Carolan, que criou algumas das mais belas peças da música irlandesa tradicional no séc. XVII. A maioria das peças, porém, permanece anônima - afinal, a tradição bárdica da transmissão oral permanece como um componente fundamental da música tradicional irlandesa, que "é transmitida de uma geração para outra, ou de um músico para outro, muito mais através do exemplo do que do ensino formal" ('What is Irish Traditional Music', folheto 1 do Taisce Cheol Dúchais Éireann).

Isso confere à música irlandesa um dinamismo especial - ao contrário da rigidez da música clássica do mesmo período, os temas musicais irlandeses estão livres para serem reinterpretados pelas gerações futuras e abertos à influência de outros estilos musicais, resultando na eterna juventude da música irlandesa - processo semelhante ao que ocorre com a espiritualidade celta, o druidismo, em constante evolução sem perder a identidade.

A música tradicional irlandesa é a principal influência da country music americana, e por conseqüência influencia também os ritmos que dela surgem - como o rock 'n roll. Também na Grã-Bretanha, muito do rock produzido nos anos 60 e 70 bebe - em maior ou menor escala - nas fontes da música folk. Conjuntos do chamado rock progressivo como Jethro Tull, Rennaissance e Yes - para citar apenas alguns - mostram claramente essas influências, e ao inspirar algumas bandas inglesas de heavy metal nos anos 80, transmitem e preservam os elementos tradicionais. Iron Maiden, um dos maiores expoentes do heavy metal britânico, tem em sua musicalidade muitos elementos da música tradicional - os riffs das guitarras reproduzem as tradicionais harmonias dos violinos e tin whistles da música folk; o campo harmônico é basicamente o mesmo e o ritmo, apesar de obviamente mais pesado e mais ‘quadrado’, segue andamentos semelhantes.

Mas é a atmosfera incomparável de um pub que mais parece se identificar com a música irlandesa - a combinação é perfeita, e é a razão pela qual os pubs irlandeses são mania onde quer que se vá - de Dublin a Dubai, de Nova York a Nova Déli, de Glasgow a São Paulo, os pubs são o local perfeito para saborear um pint de cerveja ao som de violinos, flautas e bodrháns...

 


Os maiores artistas, instrumentos tradicionais,
toda a história, onde ouvir, como aprender...
Clique aqui para muito mais informações
na página especial sobre música irlandesa!

 

 


Dança

Não se pode falar de música 'celta' sem mencionar as danças que as acompanham - afinal, tanto a música irlandesa quanto a escocesa surgem com a função fundamental de acompanhar danças - daí sua natureza vivaz e cheia de energia.

Céilí, 'Sapateado Irlandês' e mais...

As aspas acima são necessárias: nunca diga ao um dançarino irlandês que ele é um sapateador... ele pode se ofender. A dança tradicional irlandesa, ou céilí ("c duro", como um 'k'), ficou mundialmente famosa após o sucesso estrondoso do musical "Riverdance", do genial compositor Bill Whelan. Posteriormente, um dos integrantes da primeira montagem, Michael Flatley, criou uma série de novos musicais explorando seu talento e a força da dança irlandesa, tornando-a ainda mais popular.


Antes disso, porém, a dança tradicional irlandesa era uma tradição pouco conhecida, restrita às áreas mais rurais daquele país. Um estilo menos conhecido, mas até mais tradicional que o Irish Step Dance ('sapateado irlandês') é o sean nós, literalmente "à moda antiga" em irlandês - com movimentos mais livres e valendo-se bastante das mãos, o sean nós é uma dança contagiante.

Como costuma acontecer, os imigrantes e descendentes dos irlandeses em outros países foram instrumentais para o desenvolvimento e a popularização dessa dança tão original. Atualmente, escolas e instrutores ensinam os passos em escolas na Inglaterra, na América do Norte e até mesmo aqui no Brasil - destaque para a querida e competentíssima dançarina Dora Smeke e para a companhia de dança "Banana Broadway", da não menos competente - e também amiga - Fernanda Faez, que anualmente organiza anualmente o Festival Celta de Dança, em Campinas.

Dora Smeke

Fernanda Faez e sua companhia de Irish Dance

Além das danças irlandesas, mais conhecidas, existem também outras danças tradicionais de terras celtas, como a Scottish Country dance (abaixo, esq.) - com praticantes na St. Andrews' Society, em São Paulo - e a Morris Dance inglesa (abaixo, dir.). São danças folclóricas e esteticamente muito belas, além de inspiradoras manifestações culturais que, de alguma forma, remetem ao passado celta das terras britânicas.

No caso específico da Morris Dance, merece menção especial o trabalho criado por ONGs inglesas junto a jovens de comunidades carentes. Adeptos da moderníssima - e urbaníssima - street-dance, graças ao trabalho de instrutores tradidionais de Morris Dance esses jovens estão incorporando elementos da Morris Dance - tão rural em sua essência - ao universo da street-dance e do hip-hop, com belíssimos resultados. A Alma Celta, em todas as suas maniufestações, não tolera a estagnação e ama a evolução.

Topo

MAPA DO SITE

© 2007, 2008, 2010, 2011 - Claudio Quintino Crow – Conteúdo do site registrado na Biblioteca Nacional – Lei Federal 9.610/98.
Proibida a reprodução total ou parcial da obra sem a prévia e expressa autorização por escrito do autor.